Ansiedade, isso acontece com você?

Ansiedade, Saúde Mental

Talvez você tenha visto o tema deste  artigo e pensou: “De novo esse assunto! Será que vem alguma novidade aí?” 

Mas, se resolveu ir adiante, é porque provavelmente está passando por isso, conhece alguém que esteja ou é um interessado(a) no assunto.

E infelizmente sim, esse é o tema do momento. E o porquê é fácil de explicar: nunca se viram tantos relatos de pessoas estressadas, ansiosas e com sintomas de Burnout.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Bem Estar e pela NOZ Pesquisa e Inteligência, 71% dos brasileiros estão com índices elevados de medo e 51% acham que algo muito ruim ainda pode acontecer.

Um outro dado alarmante e que evidencia esse aumento acelerado nos dados é que buscas feitas no Google por termos relacionados à saúde mental atingiram um recorde: procuras por “saúde mental na quarentena” e “exaustão mental” cresceram 150%, de acordo com a plataforma.

Os motivos talvez até sejam óbvios, afinal, estamos todos no mesmo barco, atravessando por essa pandemia, em um mundo de incertezas, mudanças e medos. Claro que cada um na sua individualidade, com situações de vida e enfrentamento diferentes. Mas a questão que quero trazer aqui é: Como você está lidando com tudo isso? Você  líder, mãe, pai, filho(a), profissional e tantos outros papéis que certamente exerce, sente-se preparado(a) para passar por tudo isso e viver este “novo normal”?

Te parecem familiares alguns destes sintomas? Inquietação, perda de foco repentinamente, desmotivação, medo, irritabilidade, instabilidade de humor ou, até fisicamente falando, dores no corpo, coceiras, novas alergias, e por aí vai… 

Se sim, tenho alguns fatos para você: você não está sozinho(a) nessa, você não é fraco(a) ou menos capaz por isso, e está tudo bem não estar bem às vezes, contanto que você consiga se perceber e perceber até aonde vão esses sintomas e o quão controláveis são.

E vamos aqui para mais um tema que nunca esteve tão em alta, mas quero afirmar que sim, é a grande solução/tratamento para este novo mal da sociedade. Estamos falando aqui de Inteligência Emocional.

Num breve contexto, Inteligência Emocional, segundo Daniel Goleman, é “a capacidade de identificar nossos próprios sentimentos e dos outros, de nos motivarmos e gerirmos os impulsos dentro de nós e em nossos relacionamentos”. Ela é composta por 4 pilares: Autoconsciência, Autogestão, Empatia e Gestão de relacionamentos

Mas quero enfatizar aqui duas dessas habilidades: a Autoconsciência e a AutogestãoTalvez esteja aí o segredo para uma melhor qualidade de vida e o determinante para o enfrentamento da nossa ansiedade. Ok, mas e na prática, como podemos realizar ambas as competências? Há alguma receita infalível? Infelizmente não é tão “fácil” assim, e não é num estalar de dedos que nossos problemas com ansiedade e estresse vão ser resolvidos. 

Ainda trago aqui um terceiro tema que vem crescendo em pesquisas e número de adeptos. Estamos falando do Mindfulness, que pode ser traduzido como ‘atenção plena’, e para saber mais sobre o conceito e funcionamento dessa poderosa ferramenta te convido a ler os artigos “O que é mindfulness” e “Mindfulness, isso é para você?”.

Mas quero te trazer aqui duas práticas que te ajudarão a desenvolver a Autoconsciência e Autogestão das suas emoções, e mais do que isso: você pode realizá-las em momentos de ansiedade, pois trarão benefícios imediatos e, com o passar do tempo e realização das práticas, vão se tornar hábitos que servirão como prevenção para sintomas e possíveis psicopatologias.

Clicando nestes links (Scan corporal ) e (Cultivar à estabilidade), você poderá praticar meditações guiadas por especialistas, são um ótimo caminho*. A maisPS tem um curso online com 5 módulos onde você vai ter acesso a práticas como essa que citei aqui e outros hábitos que te ajudarão no desenvolvimento da Inteligência Emocional, confere aqui.

E, se me permite mais uma sugestão, tente buscar o que funciona para você, descubra-se nos pequenos momentos, e não é egoísmo sentir autocompaixão, cuidar de si próprio. Afinal, é estando bem que podemos também fazer o bem e cuidar das outras pessoas, não é mesmo?

E se você tiver outras dicas e sugestões, conta pra gente aqui nos comentários 😉 

Por Marinara Dybax

3 respostas

  1. Amei o Artigo, nos perceber e pensar um pouco em nós é essencial, até mesmo para então podermos ajudar o próximo!

    Parabéns!

  2. Maravilhooo!!! Isso condiz muito com a nossa atual realidade e o período que estamos vivendo!

  3. Que necessário este tipo de conteúdo no atual contexto! Anotei as dicas e com toda certeza compartilharei com amigos e pacientes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *